Quem quer ser professor no Brasil? Uma Investigação.

Uma publicação do ano passado (mas a qual somente li recentemente) do colunista da Veja Gustavo Ioschpe me chamou a atenção. Embora a coluna traga várias informações questionáveis, algumas delas com considerável carga ideológica (como menções à Cuba sem muito contexto), uma delas me chamou a atenção: a de que não há relação entre melhores salários de professores e melhor qualidade no ensino. O argumento é baseado em algumas pesquisas que mostram que a qualidade do ensino não tende a melhorar com o aumento dos salários. Estejam corretas ou não, essas pesquisas, creio que há uma falha metodológica nesses trabalhos: o pequeno lapso temporal testado, geralmente um ano ou dois.

Imagino que, de fato, um salário maior não melhore SIGNIFICATIVAMENTE a qualidade do ensino ofertado pelos professores que já estão na ativa, embora cumpra um papel fundamental em atrair candidatos mais preparados para a carreira docente e estes sim podem melhorar a qualidade do ensino. Eu mesmo fui professor concursado da Rede Estadual do Rio Grande do Sul durante alguns meses, mas as baixas perspectivas da rede me levaram para outros caminhos.

Esta investigação terá três etapas, com os seguintes objetivos: 1) descobrir quem queria ser professor no Brasil em 2009, 2) verificar se houve aumento real no rendimento dos professores desde então, 3) Comparar o perfil dos candidatos daquele ano com candidatos à carreira docente 5 anos depois, em 2014, para entender se houve alguma alteração no padrão, acompanhando ou não os aumentos salariais e comparar isso com dados nacionais e internacionais sobre a qualidade da educação brasileira. Nesta postagem, vamos tentar dar conta apenas do primeiro objetivo.

Quem quer ser professor no Brasil?

Tentarei responder a esta pergunta com a utilização dos dados disponíveis no questionário socioeconômico do ENEM de 2009, que foram os mesmos dados utilizados na minha dissertação, recentemente defendida. O primeiro ponto que chama a atenção é que os candidatos à carreira docente são uma minoria, com cerca de 6% dos candidatos que prestaram o exame, fração bem abaixo dos candidatos a outras profissões. O que é mais grave, porém, é a sua nota média, muito mais baixa do que a de candidatos a carreiras nas áreas de ciências exatas, engenharias, artes, ciências humanas ou biológicas.

nota professoresOs candidatos que pretendem seguir carreira na área de educação também têm uma média de idade bem maior (26 anos) do que a dos demais concorrentes, cuja média de idade varia entre os 21 e 23 anos.

idade professoresEm média, os candidatos que querem seguir na profissão de professor tem uma curva de renda destoante dos candidatos a todas as outras profissões (que possuem curvas de renda muito próximas entre si), com renda familiar menor do que a dos demais candidatos.

RENDA FAMILIAR professoresChama a atenção também que poucos filhos de funcionários públicos, profissionais liberais ou mesmo PROFESSORES pretendem seguir a carreira docente. Enquanto 15% dos pais de candidatos a carreiras nas ciências humanas possuem pais funcionários públicos, entre candidatos que almejam a profissão de professor, essa taxa é de 9%. Se  há 6% de pais profissionais liberais e professores entre candidatos da área de artes, entre candidatos a professores, essa taxa é de 1,7%.

profissão dos pais professoresDa mesma forma, enquanto a curva de escolaridade das mães dos candidatos às demais carreiras é bastante semelhante, chama a atenção que os candidatos a professor vêm de famílias que tem menos contato com o campo escolar que os demais candidatos. escolaridade mães dos professoresUma proporção maior de candidatos a professor estudou integralmente em escolas públicas (quase 90%, contra taxas que variam entre 72% e 76% nas demais carreiras).

escola professores Cabe citar também alguns hábitos de leitura dos candidatos à carreira docente: eles são os que menos leem romances e ficção (com exceção dos candidatos a carreiras nas ciências exatas e engenharias), são os que menos leem revistas de divulgação científica e de informação geral e, ao contrário, são os que mais leem revistas sobre religião, astrologia, etc.

leituras professores    Por fim, trago dados sobre as principais motivações para a escolha da profissão (a soma pode ultrapassar 100% pois era uma questão de múltipla resposta): em comparação com outras profissões, fatores como a facilidade de encontrar emprego depois de formado tiveram destaque positivo, enquanto estímulos financeiros e da mídia foram menores do que para os candidatos à outras profissões.

motivos professores

Antes de qualquer coisa, não quero dizer que candidatos com condições socioeconômicas mais precárias não possam ser excelentes profissionais (meus pais, por exemplo, têm apenas o ensino fundamental e três de meus quatro avós não eram alfabetizados), mas a discrepância entre os dados relativos aos candidatos a professores e os candidatos a outras profissões pode indicar que muitos candidatos escolhem essas carreiras apenas por serem mais fáceis de passar e uma possibilidade objetiva muito mais factível do que outras carreiras. Da mesma forma, candidatos preparados, independentemente de sua condição socioeconômica, podem escolher outras profissões, apesar de preferirem a carreira docente, dadas a pouca valorização social da profissão de professor, o que passa, invariavelmente, pelos baixos salários quando comparados com os salários de outras profissões de nível superior.

2 respostas em “Quem quer ser professor no Brasil? Uma Investigação.

  1. Olá Fernando, encontrei recentemente seu blogue e gostaria de saber se você chegou a produzir os passos 2 e 3 que você anuncia no início da postagem. Parabéns pelo seus posts e pelo blogue. Abraço.

Deixe uma resposta para fernandodegoncalves Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s